segunda-feira, 19 de março de 2012

Porque mereces

Para mim, a palavra pai, não teve qualquer significado na minha infância, ou melhor, teve, mas no sentido negativo. O meu pai sempre significou, para mim, medo, acho que ainda tenho medo dele, para dizer a verdade. Trata-se de uma pessoa extremamente violenta sem sentido de tolerância. Eu nunca podia chorar à sua frente, não podia queimar-me a comer a sopa, não podia ter pouco apetite… Tudo o que eu fazia ou dizia era motivo para levar uma tareia ou ser gozada. Ele era tão violento que arranjava motivos para criar discussões.
Eu cresci depressa e, vivi os problemas da minha mãe. Era comigo que ela desabafava tudo e eu, procurava soluções para esses problemas como se fossem meus e, também eram meus, na verdade. Esta situação prejudicou o meu empenho nos estudos e, no 5º ano reprovei. O castigo que o meu pai me deu, depois de uma valente tareia, foi ficar fechada em casa as férias de Verão. É verdade, passei três meses da minha vida presa em casa, graças a esse monstro. Muito mais poderia dizer acerca dele, mas como sou uma pessoa muito positiva (herança da minha mãe) e gosto de dar importância àquilo que me faz sentir bem, não me vou alongar, caso contrário daqui a pouco começo a chorar e não quero estragar o meu dia.

Como tudo tem o seu lado positivo, acredito que estas vivências criaram em mim algumas defesas, que me ajudaram a ter um casamento de sucesso. Uma qualidade que é a minha capacidade de criar soluções para tudo, de lutar e desenrascar-me bem, de fazer bem as coisas, nunca estar satisfeita e querer fazer mais e melhor. 


Por outro lado, graças a esse senhor, que tanto gosta de filmes e de ouvir e coleccionar música, eu desenvolvi uma paixão pela música e, adquiri uma cultura nesta área, muito acima do nível de outros jovens da minha idade, o que me ajudou a ser animadora de rádio, um casamento de seis anos, que ficou para trás e deixou muitas saudades, o tal famoso "bichinho da rádio" ainda mora em mim...

Também aprendi, muito cedo, a falar Inglês, por ver tantos filmes e ouvir tanta música em Inglês. No 5º ano, fui a melhor aluna da minha turma a Inglês, nunca tive um teste com menos de 99%. A minha professora, perguntou-me várias vezes se eu tinha vivido num país de língua Inglesa. Como disse sempre que não, ela duvidou da minha palavra e chamou a minha mãe ao colégio para obter confirmação. Outro ponto positivo, foi quando eu tinha 12 anos, o meu pai emigrou para a Europa Central e, deixou a sua fantástica Zenit, em casa. Eu apaixonei-me completamente por ela e comecei a praticar fotografia, com a ajuda de um tio, que na altura era fotógrafo. Comecei por fotografar as minhas irmãs e primas, de seguida, animais. Por fim, rendi-me às paisagens.
O resto, que ficou para trás, já perdoei e, muita coisa esqueci. Mas não consigo esquecer tudo, tenho fraca memória, mas não tenho amnésia. 


Desde Outubro de 2004, mudei a minha visão, conheci um pai maravilhoso, aquele que eu gostaria de ter tido, aquele que qualquer criança merece, o pai dos meus filhos. 
Por isso, actualmente, este dia faz todo o sentido para mim e, tenho muito gosto em celebrá-lo, não necessariamente com prendas, não somos muito consumistas, mas com surpresas ou homenagens, como a que se segue. 


Para o pai dos meus filhos
Mereces ser chamado pai, porque és um pai carinhoso, atento e preocupado com a educação e felicidade dos teus filhos. És o pai mais presente que conheço (só não estás com os nossos filhos, quando estás a trabalhar), nunca sais sem eles. A tua maior paixão é a família, sempre unida. 
Mereces ser chamado pai, pois nunca desautorizaste a mãe dos teus filhos, à frente deles, és firme nas tuas decisões, só cedes quando deves ceder, na altura certa.
Nunca trocaste a tua família pelo futebol (ainda bem que não ligas nada a isso, yupi!), ou por saídas para bares e cafés com amigos. Os nossos filhos estão incluídos em todos os teus/nossos planos, projectos, férias, em tudo.
Por estas razões e mais algumas, que me devo ter esquecido, tu mereces ser chamado, PAI! 


Agora, depois de todas estas coisas lindas e verdadeiras que disse a teu respeito, posso pedir-te um favor? Sabes... aquele defeito teu, enorme, que me irrita muito, podes tentar melhorar?
Podes ouvir os teus filhos (e a mim, também) quando estás a ver televisão? Eu sei que és viciado em documentários, nem tenho nada contra, até pareces uma enciclopédia (quando preciso de saber alguma coisa, só tenho de te perguntar). Mas, é desesperante ouvir os nossos filhos ao teu lado, a chamar papá, 2562 vezes e tu não ouves, tenho de ser eu a dizer 500 vezes que o Diogo ou a Sara estão a falar para ti. Pode ser, please??? Assim, tornavas-te no pai perfeito, ou quase perfeito!


Dedico-te esta música, que adoras e tocas tão bem na tua viola. Adoro ouvir-te tocar e cantá-la, principalmente quando adormeces a Sara. Ela também sorri, feliz e contente a ouvir-te. 

Resta-me desejar um feliz dia a todos aqueles que honram a palavra PAI. Não se esqueçam que ser pai é fazer parte da vida dos filhos. Feliz dia!

22 comentários:

Mamã Juliago disse...

Adorei o teu post de hoje mesmo! :D

flor disse...

És uma pessoa positiva e isso é muito importante para uma vida de sucesso, há que agarrar todas as oportunidades mesmo as que surgem na sequência de coisas menos boas. Parabéns por isso! Beijinho :)

Naná disse...

Ana, este teu post é a prova de há pessoas que conseguem converter o mau que a vida lhes dá, em algo bom e positivo!
E tu já merecias ter um bom exemplo de pai!
Eu e o meu pai tivémos as nossas diferenças, mas o principal é que ele sempre me amou, à sua maneira. E acho que deve ser complicadíssimo receber de quem nos deveria amar e proteger apenas medo e maus tratos físicos...

abspinola disse...

Nossa Ana que testamento tão dificil e marcante.
Cmo as tuas palavras poderiam ser escritas por mim.
Já somos duas que temos poucas lembraças positivas dos nossos Pais, até conhecer os nossos maridos.

Tudo diferente.

Bjstos e obrigada pela tua partilha dos teus sentimentos
Boa semana

Magda E. disse...

Oh Ana, o teu post emocionou-me!!! Incrivel como ainda consegues encontrar algo de positivo no teu pai. A minha mãe teve um pai parecido ao teu, e o meu sogro tb não é flor que se cheire, por isso conheço de perto pessoas queridas para quem pai é = a más recordações.
beijinhos*

Sofia disse...

Aquilo que a vida nos traz nem sempre é mau. Cabe-nos a nós virar isso a nosso favor e tentar ser feliz, ainda que a dor continue lá.

Um beijinho grande*

Formiguinha disse...

Olá Ana:)

Não fazia ideia que já passaste tanto sofrimento na tua vida. Sei o que isso é, um bocadinho parecido, porque meu filho nunca teve o amor do pai. Sofre ele e sofro eu por não lhe ter dado um bom pai. Tem o avô que além de ser o meu pai também foi pai do meu filho. E agora tem um pai de coração, chegou numa fase dificil mas acredito que tudo vai passar e ainda vou ter muito orgulho dos dois. Meu filho está em plena crise da adolescência, pegou-lhe mesmo em cheio e não vejo a hora de passar. Mãe sofre:)

Deus foi teu amigo e recompensou-te com um bom marido e um bom pai para os teus filhos. Estimo-a muito minha querida porque hoje em dia são raros os homens assim:)

Boa semana!
Beijinhos da Formiguinha

Coquinhas disse...

Como te entendo :/ Quanto a mim ainda não tenho esse pai perfeito a quem agradecer, embora saiba que o homem que tenho a meu lado o será. Contudo tenho uma mãe, uma avó, três irmãos, um primo, etc que nunca me fizeram sentir sozinha e infeliz pelo pai que tenho. Como se diz por ai "o que não nos mata, torna-nos mais fortes" :D beijinho

Dadinha disse...

Querida Ana como eu gostaria de estar ao teu lado e dar-te um abraço daqueles que esmagam de tanto apertar.
Eu tb já tive um momento de desabafo parecido com o teu, obrigada pela partilha. É acto de valentia e autenticidade. Bem hajam pessoas como tu.
Não é por acaso que te "sigo" à tanto tempo.
Parabéns pelo Pai dos teus filhos, creio que estão todos muito bem acompanhados.
Beijo

Vecas disse...

Quanto a atenção quando os filhotes chamam pelo pai, acho que é um defeito genético que eles tem, quando estão concentrados nunca coisa, desligam de tudo o resto, aqui em casa acontece muito isso, posso estar ao lado do meu marido quando ele está por ex, a ver algo que lhe interessa mesmo muito na Tv a dizer olha isto, olha aquilo, que ele não ouve...lol

Cris ♥ disse...

Oh Ana, eu nunca imaginaria que tu terias tido uma infância tão marcada!!! Realmente, pelo que vou aqui conhecendo, és uma mulher de armas e muito bem resolvida!!! Crias-te a tua família e és feliz, e isso é o que mais importa!!!
Um grande grande beijinho ****
PS - vamos lá ver se desta vez o papá começa a desligar um pouquinho da TV!!! ;)

eutambemtenhoumblog disse...

Gostei muito do teu post =)
Super carinhoso e verdadeiro =)

100% Mamã disse...

Ana tocaste-me o coração (e tb em algumas feridas felizmente já saradas ;) )
Linda esta homenagem.
Bjs

mão da mãe disse...

ainda bem que encontraste um pai à altura e que dá o bom exemplo à sua descendência.
conheces o ditado "o que não nos mata faz-nos mais fortes?" - sê sempre muito feliz!
bjinhos*

AvoGI disse...

hummm adorei este relato nem sempre há pais que merecem esse nome. o meu tb nunca foi pai pelo menos para mim.
kis .=(

An@ disse...

Olá! És uma mulher de coragem e com um espírito muito positivo! Gostei muito deste post, algo que eu não tinha coragem de fazer... desejo-te muita felicidade porque claramente mereces e lutas por ela! Bjoca

Patricia disse...

Olá Ana!

Pois é, a vida tem coisas que só Deus explicaria. Experiências como a tua deixam marcas profundas, que não se esquece nunca, mas também deixam muitas lições preciosas.

Que linda homenagem publicaste aqui :)

Beijinho grande.
Patricia.

ana cerneleanu disse...

Que dizer Ana...
Existe um dito popular que diz "O que não nos mata torna-nos mais fortes" e acredito piamente nele. Infelizmente nem todos tivemos o privilégio de ter uma infância e família feliz. O tempo passa mas a marca fica sempre cá dentro. Mas pelo que me é dado a conhecer desde que venho aqui é que hoje és uma pessoa feliz com a tua família os teus filhotes. E isso é o melhor, tudo o que passaste tornou-te uma pessoa boa!
beijinho

Mafalda S. disse...

És uma verdadeira inspiração, porque de uma experiência terrível, conseguiste retirar uma lição muito positiva. Parabéns por isso.

O meu marido também não teve lá muita sorte com os pais, e hoje ele é um pai espectacular. Dou imenso valor a isso.

Ah! E parabéns pelo marido que tens.

Beijinho

mfc disse...

Um post que começa por ser amargo, que passa por uma vivência alegre (com um pequeno reparo) e que termina alegremente!
Um post lindo... precisamente à tua medida que também és uma mulher linda. Parabéns por seres assim
Beijinhos.

Tanita disse...

Recebe o meu xi apertadinho.

Ana disse...

Concordo com vocês, o que não nos derruba, torna-nos mais fortes. É esse o espírito. Estava apenas para homenagear o meu marido (que deitou uma lágrima ao ler isto), mas não consegui evitar falar nesse senhor. Mas seria injusta se não dissesse que ele também contribuiu para a minha felicidade.

Muito obrigada a todos, pelo carinho e apoio, muito obrigada, mesmo.
Um beijinho muito especial para cada um de vocês :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...