terça-feira, 12 de julho de 2011

Dá que pensar...

A Fábula do porco-espinho

Durante a era glaciar, muitos animais morriam devido ao frio. Os porcos-espinhos, aperceberam-se da situação, e resolveram juntar-se em grupos, para se aquecerem mutuamente, mas, os espinhos de cada um, feriam os companheiros mais próximos, precisamente os que ofereciam mais calor. Por isso, decidiram afastar-se uns dos outros, e morreram de frio.

Imagem retirada da Internet
Entretanto, tiveram que optar: ou desapareciam da Terra, ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram juntar-se. Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação muito próxima podia causar, já que o mais importante, era o calor do outro. E assim, sobreviveram.

Moral da história: O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos dos outros e consegue admirar as suas qualidades.

Hoje contaram-me esta fábula. Não consigo parar de reflectir sobre ela, e resolvi partilhar com vocês. Espero que gostem.

4 comentários:

Joana disse...

Que bonito, Ana...e consigo tirar outro ensinamento daí, que é que as relações, no geral, com as pessoas, vão incluir sempre momentos em que nos magoam, seja de propósito ou sem querer...mas é melhor aprender a viver com essas pessoas pois precisamos uns dos outros :)

E os porco-espinhos são lindos, o que eu gostava de pegar num bebé!

Formiguinha disse...

Olá Ana!

A fábula é linda e realmente dá que pensar. Lá disto o ditado "até as rosas têm espinhos"

O porco-espinho da foto tem um ar muito fofinho mas nunca conseguiria pegar em nenhum porque tenho fobia. Quando era nova fui a garagem dos meus pais buscar batatas sem acender a luz e toquei em algo que me picou os dedos, fuji cheia de medo e estive meses sem entrar na garagem. Mas afinal não era um porco-espinho mas sim uma vasoura de piaçaba mas o medo nunca mais o perdi.:)

Beijinhos da Formiguinha

ana disse...

É linda e tão verdadeira.
Adorei a foto!

Ana disse...

Joana
Nem mais, precisamos dos espinhos dos outros para sobreviver. Também pegava nesse bebé :)

Formiguinha
Acho que devias mesmo tocar num porco-espinho, de preferência, na garagem dos teus pais. A melhor forma de superarmos os nossos traumas, é precisamente ir ao local e ao encontro das pessoas/animais que nos fizeram mal, ou provocaram medo.


Ana
Tão linda a foto como a fábula.

Beijinhos para as três :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...