terça-feira, 27 de setembro de 2011

Convite

Recebi este convite da Mãe Feliz, e claro que não poderia recusar. Amamentar é uma das mais importantes formas de vinculação entre mãe e filho, para além de inúmeros benefícios para a saúde do bebé. Gostei tanto da ideia, que, passo desde já convidar todas as mamãs que estejam interessadas em participar.

  1. Colem esta imagem no vosso blogue, facebook de modo a assinalar esta comemoração;
  2. Escrevam mensagens com o vosso testemunho de amamentação (o que correu bem, o que correu mal, o que mudavam, o que sentiram...);
  3. Publiquem imagens ou vídeos acerca da amamentação;
  4. Lancem o convite a mais blogues;
  5. Deixem a criatividade e imaginação falar por vocês e promovam o aleitamento materno :)
Aceitam o convite?

 Mais informações aquiFacebook.

O meu testemunho
NOTA: Este post foi publicado no dia 27 de Abril deste ano.


Já não amamento há cerca de um ano. No entanto, e porque tive alguns percalços no início, achei que deveria deixar o meu testemunho.
Com o primeiro filho, tudo era novidade, porém, ao fim de dois dias de dificuldades em mamar, tudo começou a correr lindamente. 

Com a minha segunda filha, a Sara, tudo foi diferente, mesmo muito diferente. Ao contrário do Diogo, a primeira vez que a Sara mamou, parecia uma bebé muito experiente, foi maravilhoso. Fiquei super feliz e toda auto confiante, só pensava: desta vez vai correr tudo bem! 
Mas, ao fim de dois dias, a situação inverteu-se, a Sara começou a mamar muito mal.

Como a Sara nasceu com menos de 3kg. (2,900kg), fui aconselhada a acordá-la de três em três horas, para mamar. E nunca, mas mesmo nunca, deixar que ficasse quatro horas sem mamar, pois podia entrar em hipoglicemia. Assim fiz. Mas sentia que, o facto de interromper o seu sono, pois ela dormia muito bem de dia e mal durante a noite, causava-lhe um enorme transtorno e, ela rejeitava a mama.
Os dias iam passando, e ela não aumentava de peso, como deveria. Ao fim de três dias pesava 2,700kg. Trata-se de uma situação normal. Os recém nascidos têm tendência a perder até 10% do seu peso nos primeiros dias, voltando ao peso com que nasceram ao fim de aproximadamente dez dias. Tendo ganho apenas 60gr. em oito dias. Muito pouco, tendo em conta que devia aumentar no mínimo 20gr. por dia.
Embora contrariando o meu instinto maternal, devido à insistência da médica e enfermeira que acompanhou a Sara, e, com base no facto de ter menos de 3kg., continuei a acordá-la, mas de quatro em quatro horas. A situação manteve-se, ela nem mamava, nem dormia. Ao fim de doze dias, tomei a decisão de agir de acordo com o meu instinto. (Os nossos antepassados, não tinham a informação que nós temos hoje em dia, e tudo se criou.) Deixei a minha filha dormir, tanto quanto necessitava, e deixei que ela acordasse naturalmente. A partir dessa altura, com menos de 3kg., a minha filha começou a dormir mais horas seguidas, a acordar com um apetite voraz e a mamar bem. Na consulta seguinte, com 18 dias, pesava precisamente 3 kg. Fiquei super feliz e aliviada. No entanto, não disse nem à enfermeira, nem à médica o que tinha feito. Preferi aguardar pela próxima consulta, para ter a certeza que estava no caminho certo. Na consulta seguinte, com 24 dias e 3,110kg., contei à enfermeira como tinha feito, e ela continuou a defender a sua posição, mesmo com os resultados positivos à vista. Passados seis dias, já pesava 3,400kg.


Como vêem, às vezes devemos seguir o nosso próprio instinto. Não há dois bebés iguais, e mesmo que viessem com "livro de instruções", o mesmo, não serviria para todos, pois existem muitas variantes e condicionantes.


Acredito que, quando uma estratégia não resulta, devemos optar por outra. Foi o que fiz, e correu muito bem.
Contudo, não pretendo com esta partilha da minha experiência, influenciar ninguém, até porque, cada caso é um caso.


Quando amamentava, desconhecia os picos de crescimento leiam, é importante.

6 comentários:

Turista disse...

Querida Ana, achei emocionante o teu testemunho e é bem verdade que os instintos por vezes prevalecem, sobre a ciência.
Quando se entra no teu blog, ainda dá aviso de vírus. :P

Naná disse...

Um excelente repto que lançaste aqui! Acho que vou responder!
Curiosamente, a mim ninguém me disse para dar mama de 3h em 3h e o F. nasceu com 2740 kgs. Estranha essa recomendação e que no teu caso se provou ser incorrecta...

Ana (A mamã é só minha) disse...

Naná
Ainda bem que respondeste. Já li e gostei muito.

Beijinhos

Mãe Feliz disse...

Olá Ana,
A recomendação que te deram é de todo desactualizada. Quanto muito recomenda-se essa situação em caso de bebés prematuros... É triste quando não temos profissionais de saúde que não estão completamente informados e sensibilizados para a amamentação. Ainda bem que seguiste o teu instinto...

Beijinhos

Joana disse...

Ana, és linda e o bebé amoroso. A foto está cheia de ternura, até sabe bem ver! :)

Ana (A mamã é só minha) disse...

Mãe Feliz
Deram-me essa informação na maternidade em Aveiro, pediatras e enfermeiras que viram a S.(estive internada 5 dias) quando regressei a casa, fui acompanahda pela médica de família e enfermeira assistente, que defendiam a mesma coisa. No fim apenas sei que tomei a decisão certa.

Joaninha
Muito obrigada, deixaste-me corada. Nem gosto muito de me ver nesta altura, pois estava muito pálida e meio zombie, quase sem dormir desde o nascimento da S. (nesta foto com 7 ou 8 dias).

Beijinhos e bom fim-de-semana :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...