sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Como é que é possível?

Fiquei de rastos ao ler este post. Sinceramnete, custa-me muito saber que existem casos como este, nos dias que correm.

Acho que não preciso acrescentar muito mais, ao que já está dito no referido post. No entanto, gostava que o lessem, e ajudassem esta mãe que se encontra num estado de sofrimento enorme, não imagino como será passar por uma situação destas, não poder alimentar um filho.

Eu, vou contribuir com dinheiro, pois os portes, ao enviar alimentos, provavelmente não compensam, aliás ela precisa muito mais do que alimentos.

Espero que possam ajudar, pois muitas gotas formam oceanos.

Obrigada

Beijinhos e bom fim-de-semana :)

6 comentários:

Mãe(q.b.) ao quadrado disse...

:(
Realmente não há como uma mãe não ficar indiferente... é tão triste ver vidas assim... jokas

Fernanda disse...

Olá Ana,
vim aqui muito contente dizer que chegou o postal do D. e fiquei um bocadinho triste com o post.
Já fui ver ao blogue, tirei a morada e vou enviar( eu sou mais de contribuir com géneros)algumas coisas.
Infelizmente o nr de casos de pobreza e fome tem aumentado como todos sabemos, e isso só nos responsabiliza mais.

Quanto ao postal do D. a Letícia adorou! Anda com ele, para trás e para a frente, a mostrar a toda a gente. E que bem ele desenhou o Charlie Brown, de quem gostamos tanto! Parabéns para ele! E um beijinho da Letícia.

Beijinhos e bom-fim-de-semana!

Te disse...

Fui ler o post e fiquei como tu, de rastos, posso dizer que saber destas situações não afecta somente mães. Eu não sou mãe e fiquei sensibilisada.

Mas ajuda-me lá numa coisa. Vais enviar dinheiro assim num envelope para a morada ou tens outra forma de o fazer? E que tipo de quantias se envia nestes casos? Eu quero muito ajudar mas fico sempre a pensar "e se enviar tão pouco que mais pareça anedota?" (é que quero ajudar mas o dinheiro não chove cá em casa). :-S

Nunca sei como fazer. :-(

Mãe Feliz disse...

Infelizmente notícias destas é o que não falta... :(

Pessoalmente costumo ajudar pessoas que estão mais próximas, como famílias que têm filhos na mesma creche que o meu filho e outras pessoas cá da terra. Acho que se todos nós contribuirmos um pouco para quem nos rodeia e está mais próximo é mais eficaz...

De qualquer das formas acho uma atitude nobre e sempre de valorizar e fomentar!

:*

Ana (A mamã é só minha) disse...

Fernanda
Muito obrigada, por colaborares, de coração.
Ainda bem que a L. gostou. Agora o D. pediu-me para tirar uma foto ao desenho que ele copiou, para a L. ver que está parecido, e enviar por mail. Tenho que tratar disso.

Mãe Feliz
Fico feliz com pessoas assim. Se conhecesse casos mais próximos de mim, e de certeza que os há. Também ajudava, com muito gosto.

Te
Ontem no fim de fazer post, escrevi uma carta à Sra, onde coloquei 20€ e um envelope selado com a minha morada, para que ela me enviasse uma lista com aquilo que mais precisa, pois eu tenho na garagem caixotes com loiças, panela, toalhas, lençois, calçado... e não sei a quem dar.
Sempre que há campanhas, despacho aqilo que é possível, mas há coisas que não aceitam. Como não é assim tão longe, e há muito que penso ir à Guarda, tenho uma desculpa para ir lá, faço o desvio, e entrego os bens à Sra., assim como alguns alimentos. O dinheiro, é só para uma ajuda mais rápida.

Eu sei, conforme disse a mãe feliz, que há muitos casos destes, provavelmente até perto de mim, mas não conheço nenhum.

O que me revolta muito neste caso, é por se tratar de uma pessoa que sofreu toda a vida com um marido violento, um filho deficiente e dificuldades financeiras e recebe apenas 300€ por mês.
Alguém me explique como é que milhares de pessoas, claro que há casos que precisam mesmo, recebem o rendimento social de inserção, dão-se ao luxo de fumar ir ao café etc., e uma mãe, que só quer cuidar do filho, que necessita de apoio o tempo inteiro, não tem direito a esse rendimento? Se ela o colocasse numa instituiçao, ele seria tratado como um mais um, na maioria dos casos, e daria mais despesa ao estado. Isto faz algum sentido? Para mim não.

Te, acho que se enviares um envelope com 5€, para quem não tem dinheiro para alimentar o filho, a Sra. ficará grata para sempre.
Eu não pude mandar mais, pois na semana passada gastei 217€ com o carro e na 5ªa feira mais 488€, ainda não digeri.
Além disso, para o mês que vem, tenho o aniversário do Diogo e no dia a seguir o meu aniversário de casamento.
Mas se souber que o n.º de conta que está no comentário do post, é verdadeiro, faço uma transferência mensal, à semelhança da que faço para os médicos do mundo.

Não tenhas vergonha de dar pouco, cada um dá o que pode. Obrigada por colaborares.
Beijinhos

Kristianna disse...

ja li este post no dia em que o postaste...fez-me mal...
Estava na varanda com o miguel, e comecei a falar no assunto, e do nada omeçaram-me a cair as lagrimas pela cara...a mim!!!!Com isto nao quero dizer que sou insensivel, nao...mas sou de choro difiil...mas nao aguentei, nem consegui acabar de lhe contar que esta mae teve que ir á Tv pedir ajuda!!!
Ajudar para conseguir dar de comer a um filho!!!
Custa muito mesmo...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...